DaquiÓ

Imagem1

Foram dois anos de muito trabalho na escolha de cores, dizeres, nome, entre outras coisas que foram levadas em questão. Ainda bem que conseguimos superar a ansiedade de começar logo, pois não é fácil esperar quando se tem mil ideias na cabeça e uma tremenda vontade de colocar a mão na massa.  Com isso, pudemos fazer escolhas acertadas, bem elaboradas, tudo cuidadosamente pensado, que culminou em um resultado super satisfatório.

Surgia assim, a marca DaquiÓ. As cores escolhidas foram 3. Cinza claro, laranja e marrom.

image 2

Optamos por um cinza bem clarinho, cor de concreto por 2 motivos. Primeiro porque ele representa a realidade concreta, aquilo que existe mesmo e sendo assim, ao longo de nossa trajetória, sempre procuramos nos lembrar de manter o pé no chão, de termos consciência de que o crescimento de qualquer empresa deve ser sério, bem medido, bem planejado. Segundo porque simboliza a vida urbana, o concreto das cidades, das casas, que é onde está o nosso produto.

A cor laranja é vibrante, cheia de energia e considerada símbolo de criatividade e dinamismo. Do ponto de vista da cromoterapia, é uma cor quente porque resulta da mistura de vermelho e amarelo, mas com um impacto mais moderado sobre as pessoas, assim como nosso pensamento a respeito de negócios.  Pelo seu valor energético, é ainda uma cor incentivadora de sentimentos como o aconchego e a generosidade.  Mas prevaleceu também o gosto pessoal pelo tom, adoro laranja!

O marrom foi a primeira cor a ser escolhida. Partimos da premissa de que marrom é terra, é raiz e é feijão. A terra simboliza o retorno à simplicidade, o nosso chão que é a base de tudo; sem ela não há plantação. As raízes se aprofundam à medida que a árvore ou qualquer planta se desenvolve. Quanto mais profunda a raiz, sinal de que a empresa está se estruturando. Quanto aos feijões, a maioria deles é marrom, é a cor que os simbolizam, embora existam grãos brancos, vermelhos, pretos etc.

image 1

A essa altura, já tínhamos certeza do nome, mas faltava ver um monte de coisas. Onde colocá-lo? Como posicioná-lo no rótulo? Aí veio a ideia da tarja. Por trás do retângulo onde está o nome DaquiÓ, colocamos uma tarja marrom. Ela representa a nossa vontade de que, ao adquirir um de nossos feijões, a pessoa sinta que está dando ou recebendo um produto especial.  Resumindo, a tarja é a fita que amarra o presente. E assim queremos que seja; queremos agradar nosso cliente, presenteá-lo com um produto gostoso e de muita qualidade.

6efcac66 db18 454f 8dec 9c298b787e2c

A foto ao fundo é da fazenda onde eu fui criada em Minas Gerais, na cidade de Santa Vitória, onde toda essa história começou. Se olhar bem, dá para ver no alpendre, um menino à direita, um carrinho de bebê à esquerda e um homem deitado na rede; Sérgio, meu marido.  Sob a frondosa sombra da paineira secular, aparece a carroça, palco de tantos passeios pelas deliciosas estradas de terra que adornam a paisagem. Finalmente escolhida, essa foto endossa a crença de que estamos no caminho certo, acreditando em nossa história.

Sobre a panela de pressão temos pouco e muito a dizer. Pode ser de alumínio, de barro, de pressão, elétrica, seja como for, é na panela que a magia do cozimento acontece. Até pensamos em usar uma concha, mas por fim, optamos pela panelinha e resolvemos que o melhor lugar para ela era bem em cima do nome, tendo o destaque que merece.

DaquiÓ – o feijão tá na mesa. Queríamos uma frase, uns dizeres que dissesse algo mais a respeito da marca. Também, nesse caso, pensamos em várias possibilidades. Mas a expressão “tá na mesa” é muito nossa; quem nunca foi chamado para almoçar dessa maneira? É uma frase do dia a dia do brasileiro. Então, acrescentamos o feijão para ser mais a cara do nosso negócio.

Enfim, vamos falar do nome DaquiÓ. Foi lento e superdivertido o processo de decisão. Houve muita gente dando palpites (bem-vindos, por sinal), uma profusão de ideias, lembranças, histórias engraçadas que ajudaram a chegar em um consenso. Faggiole, “O marronzinho”, “Comida brasileira” e por aí afora. Até que alguém se lembrou da expressão “huumm, ficou daqui ó” que a tia Anésia sempre usava ao se referir ao feijão cozido que fazia no fogão a lenha da fazenda. Essa expressão é bem antiga, atribuída aos mineiros e nós resolvemos resgatar esse costume de elogiar uma comida dessa maneira, afinal nosso feijão é DaquiÓ. Propositadamente o “D” e o “Ó” foram colocados em maiúsculas, para dar movimento visual.

Se lembrarmos de mais algum detalhe da construção da nossa marca, colocamos aqui para vocês. Tenho a dizer que todas as fases são muito importantes, o imprescindível é planejar bem todas elas. E torcer para que tudo dê certo.

1 Comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.